Reunião do Governo em Curitiba detalha 10 grandes projetos que ainda não saíram do papel

Foto: Jaelson Lucas / AEN.

Entre eles a Ponte de Guaratuba, a estrada para o porto em pontal do sul – que agora está sendo chamada pelo governo de “bioestrada da mata atlântica”; além da engorda das praias de matinhos; de obras urbanas em Paranaguá e a pavimentação da estrada de Guaraqueçaba.

PRIMEIRO: A PONTE SOBRE A BAÍA DE GUARATUBA

O Governo do Estado continua confundindo a margem próxima à Prainha, no município de Guaratuba, com o balneário de Caiobá, que fica em Matinhos. Na verdade, os dois lados da travessia pertencem a Guaratuba. Já existe um estudo de viabilidade da ponte de 800 metros ligando duas margens do município de Guaratuba, que o governo confunde com Caiobá (Matinhos). Ainda assim o serviço do ferry boat pode ser licitado por mais 10 anos, renováveis por mais 10.

SEGUNDO: BASE NÁUTICA DE GUARATUBA

O objetivo é construir um ancoradouro para barcos e uma garagem para abastecimento, pernoite e compra de mantimentos.

TERCEIRO: ENGORDA DA ORLA DE MATINHOS

Não há data ainda para o lançamento do edital de licitação do projeto de reurbanização e infraestrutura, com custo estimado de R$ 660 milhões, prevendo engorda da faixa de areia, área de contenção de ressacas, proteção da erosão marinha, construção e revitalização de canais para evitar enchentes e saneamento básico, além de paisagismo, novos quiosques, pistas de caminhada, ciclovias e preservação das áreas de restinga.

Estruturas semirrígidas serão colocadas no canal da avenida Paraná, no desemboque do rio Matinhos, no espigão ao Norte da Praia Brava e nos headlands (estruturas de pedras para reter a areia) localizados nos balneários Saint Etienne e Riviera – “Saint Etienne ganhará um canal novo para ajudar na contenção das cheias, minimizando o impacto sobre o rio Matinhos, Com isso, espera-se dobrar a faixa de areia no município para mais de 80 metros.

QUARTO: EM PONTAL DO PARANÁ A FAIXA DE INFRAESTRUTURA

A Faixa de Infraestrutura ou “bioestrada da Mata Atlântica” – apelido que o governo deu agora – é uma ligação de 23 quilômetros para conectar a PR-407 a Pontal do Sul. Na segunda-feira (3) foi definida a continuidade do projeto que já conta com licenciamento.

Ambientalistas, pesquisadores e Ministério Público ainda não concordam com a obra. A principal crítica é o grande impacto ambiental e social que causaria para, supostamente, apenas atender o interesse de um porto privado, o Porto Pontal Paraná, do empresário João Carlos Ribeiro. Ou seja, construir com dinheiro público, uma estrada que leva a um porto privado.

QUINTO: ESTRADA DE GUARAQUEÇABA

Uma empresa foi contratada em 2019 para estudar o tipo de pavimentação adequada para o trecho de 80 quilômetros de estrada. O projeto será entregue em 2020 e, com as conclusões, a Secretaria de Infraestrutura e Logística pode dar andamento ao edital de contratação das obras.

SEXTO: TRAPICHES DA ILHA DO MEL

Promessa para 2020. novo sistema elétrico de iluminação, sistema de drenagem, novos dispositivos de segurança e sinalização, e dispositivos de acessibilidade (flutuantes) e de auxílio à atividade pesqueira, como estruturas para amarração de embarcações (cabeços). Eles também terão bancos de espera, proteção lateral para segurança e cobertura.

Além da Ilha do Mel, estão inclusos na promessa as comunidades de Amparo, Europinha, Eufrasina, Ilha do Teixeira, Piaçaguera, Rocio e Vila Maciel. Na Ilha dos Valadares (um no mar de fora e outro próximo à passarela), e nas cidades de Pontal do Paraná (Vila dos Pescadores) e Antonina (na Ponta da Pita e no Portinho). Os investimentos serão dos Portos do Paraná.

SÉTIMO: ILHA DAS COBRAS

O Governo promete que fará na Ilha das Cobras uma escola de turismo e gastronomia voltada para a capacitação dos moradores do Litoral. O local também deverá ser aberto para receber turistas e para a instalação de restaurante-escola, que servirá comidas típicas caiçaras. O local abrigava a residência oficial de veraneio dos governadores e depois foi transformado em Parque Estadual. O Sebrae e o Senac deverão ser os responsáveis pelos cursos, prometidos para iniciar neste semestre.

OITAVO: OBRAS RODOVIÁRIAS

Dentro do acordo de leniência com a concessionária Ecorodovias (empresa que controla a Ecovia), as obras da duplicação da PR-407 no entroncamento com a PR-412, uma extensão de 830 metros em cada sentido, compondo uma rótula, no perímetro urbano de Pontal do Paraná; de uma passarela no km 1 da Avenida Ayrton Senna, em Paranaguá; a alça de retorno na BR-277 com a PR-508, no acesso da Alexandra-Matinhos; e a iluminação de cinco quilômetros na BR-277 na entrada de Paranaguá, que devem ficar prontas até 2021.

NONO: OBRAS NA JK EM MATINHOS, E NA AYRTON SENNA, EM PARANAGUÁ

Duplicação da avenida Juscelino Kubitschek de Oliveira, em Matinhos. Já está autorizada a contratação do projeto executivo de engenharia para restauração e ampliação de capacidade da avenida Ayrton Senna da Silva, um dos principais acessos ao Porto de Paranaguá. A primeira obra ainda depende de desapropriações feitas pela Prefeitura de Matinhos e a segunda deve começar neste ano.

DÉCIMO: PACOTE DE OBRAS PARA A ILHA DO MEL

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *