Faixa de infra estrutura, também chamada de Estrada Porto Pontal, tem apoio de moradores e lideranças de Pontal do Paraná

Foto: Reprodução / Portal Paraná Praia.

Neste domingo (5), eles usaram o grande congestionamento de carros que se formou na rotatória do município como pano de fundo para reforçar a necessidade de um apoio estrutural à PR-412.

A comunidade ressaltou que a ligação atual já não consegue absorver com segurança a demanda diária de veículos e pedestres da região, especialmente nos períodos de maior movimento, como as festas de fim de ano, carnaval e feriados prolongados, quando a população da região passa de 1 milhão de pessoas.

Durante o protesto pacífico, o grupo se mostrou favorável à construção da chamada Faixa de Infraestrutura do Litoral. O projeto do Governo do Estado prevê a pavimentação de 23,2 quilômetros, numa via a ser aberta, paralela à da PR-412, entre Praia de Leste e Ponta do Poço, em Pontal do Paraná, com a implantação e melhoria de quatro acessos rodoviários, nos balneários de Santa Terezinha, Ipanema, Shangri-lá e Atami. O investimento previsto é de R$ 270 milhões.

O presidente da Associação Comercial de Pontal do Paraná. Ercio Luiz Weschenfelder, citou os números de uma recente pesquisa encomendada pela associação para validar a concordância da população local com o projeto. Levantamento feito em outubro pela Paraná Pesquisas revelou que 89,7% das pessoas são favoráveis a construção da Faixa de Infraestrutura. O instituto ouviu 478 habitantes, com margem de erro de 4,5%.

A urbanização prevê ainda implantação de nova via paralela à PR-412, com aproximadamente 1.750 metros, saindo da PR-407, formando um binário. O projeto vai definir nova iluminação e sinalização, além de readequação das redes de água, luz e concessionárias de telefonia e televisão.

Além da rodovia, o projeto da Faixa de Infraestrutura abrange um ramal ferroviário, gasoduto, rede elétrica, canal de drenagem e redes de saneamento. Será reestruturado o atual canal de drenagem, com 17,8 quilômetros de extensão, além de construção de mais 1,1 quilômetro de canal. O novo canal vai resolver um problema antigo da região litorânea, que são pontos de alagamentos.

Quando estiver em funcionamento, permitirá a drenagem da chuva para dentro do canal. Desta maneira os resíduos e lixos que normalmente são arrastados pelas chuvas e jogados diretamente ao mar irão ao canal, melhorando a qualidade da água do mar, com impacto direto na balneabilidade.

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *