Depois de acidentes nos trapiches da Ilha do Mel, gestor afirma: “A solução é precária, mas nunca deixou de funcionar”

Foto: Reprodução.

Denunciada há tempos, a fragilidade exposta dos trapiches da Ilha do Mel, no Litoral do Paraná, chegou ao seu limite no último dia 17 de setembro, quando a escada de concreto da estrutura da praia de Encantadas desabou e quebrou a perna de uma turista do Mato Grosso do Sul. Ao invés de boas recordações de um dos pontos turísticos mais importantes do estado, a mulher levou para casa a dor e a cicatriz de uma cirurgia feita em Paranaguá para corrigir a grave fratura no fêmur e na tíbia — da qual, até esta quarta-feira (25), ela ainda se recuperava internada em um hospital de Campo Grande, para onde viajou no sábado (21) em uma ambulância simples.

Apesar de ser a mais grave, não foi a única tragédia nos trapiches da ilha até agora. Em outubro do ano passado, em outro ponto da ilha, outra turista levou 29 pontos na perna depois de cair do trapiche da praia de Brasília, que, mesmo após uma reforma que custou aos cofres públicos R$ 374,2 mil, cedeu quatro vezes entre agosto de 2018 e junho de 2019. Um dos desabamentos foi na véspera de réveillon.

Neste intervalo pouco menor do que um ano, o Ministério Público do Paraná (MP-PR) cobrou respostas e a Marinha chegou a interditar parcialmente a estrutura – substituída emergencialmente em julho pelo Instituto Ambiental do Paraná (IAP). “Embora não seja o ideal, é uma solução precária que a gente deu e temos consciência disso, é uma solução que estava ali enquanto viria a construção dos novos trapiches”, rebateu o engenheiro José Luiz Scroccaro, presidente do Instituto das Águas do Paraná, órgão vinculado à Secretaria de Estado do Meio Ambiente que monitora os recursos e serviços hídricos do estado.

Em entrevista à Gazeta do Povo, Scroccaro afirmou que a próxima temporada será com trapiches provisórios na Ilha do Mel e que a solução que moradores e turistas tanto esperam há praticamente cinco anos é a reforma anunciada em maio pela Associação dos Portos do Paraná (Appa) — a qual ainda não tem data para acontecer.

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *