Trabalhos sociais no rocio tiveram bons frutos em 2018

SANTUÁRIO

Além das cestas básicas, o Santuário tem oferecido treinamento e cursos para as pessoas desempregadas ou que desejam aprender mais e não podem pagar por um curso.

Clube das Mães / Foto: Santuário do Rocio / Rádio Difusora Mais FM 104.7

A coordenação pastoral do Santuário do Rocio avaliou os trabalhos sociais em prol dos necessitados nesse ano de 2018 e percebeu melhorias no atendimento de pessoas que vivem em situação de pobreza em nosso município.

A Igreja entende que a caridade é assistência e também transformação social. Não basta dar o peixe, ou seja, uma cesta básica; a grande necessidade é dar condições para as pessoas saírem da situação de pobreza. Neste caminho, a Igreja dá assistência e também orienta sobre a transformação das estruturas sociais para que as pessoas tenham seus direitos sociais garantidos. “É como você ensinar alguém a pescar, mas quando vai fazer a pesca o lago já tem dono e não o deixa entrar. Se faz necessário que as pessoas conheçam os seus direitos e deveres e ajudem a construir uma sociedade justa e fraterna”, afirma o Redentorista Padre Joaquim Parron.

Nesse contexto centenas de pessoas foram beneficiadas nos diversos programas oferecidos pela Associação Pró-Obras Sociais do Santuário do Rocio. Entre eles a formação de adolescentes no curso de Auxiliar de Administração, de jovens e adultos nos cursos de Conferente, de Logística Portuária, de Inclusão Digital, de Inglês e de produção artesanal (este último direcionado às mulheres e com o uso de materiais reciclados)

O Irmão Jorge Tarachuque, Redentorista, conta que através da Associação, os trabalhos são feitos desde 2005, “Nestes dois últimos anos foi fortalecida essa obra social que tem por objetivo ajudar as pessoas que passam por vulnerabilidade ou são vítimas do sistema econômico que exclui os mais pobres” explica o missionário.

Alunos recebendo certificados no auditorio do Porto / Foto: Santuário do Rocio / Rádio Difusora Mais FM 104.7

Conforme o levantamento, mais de 300 pessoas foram atendidas com os cursos, foram entregues, em 2018, cerca de 200 certificados de conclusão. O Santuário também ofereceu atividades externas aos alunos, como aula no barco e visita ao Centro Administrativo do Porto.  No caso do ensino de artesanato do “Clube de Máes”, mais de 60 mulheres aprenderam, produziram e até puderam vender seus trabalhos. Os materiais de aprendizado são fornecidos gratuitamente e a renda que obtém com a venda, fica inteiramente para as mulheres . O Santuário teve ainda, um cursinho pré-vestibular, oferecido no final do ano, que registrou a aprovação de alguns alunos em ótimas faculdades.

A Associação Pró-obras sociais do Santuário do Rocio é uma entidade registrada no Conselho Municipal de Assistência Social (CMAS), tem o título de Utilidade Pública Federal, Estadual e Municipal e tem contribuído com o município desde 2005. Essa Associação, do Santuário do Rocio, é mantida apenas por doações das pessoas de bom coração, que desejam ajudar os mais necessitados.

“Foi um ano frutuoso e o esforço dos Redentoristas será para manter e aumentar os trabalhos e o número de pessoas atendidas. Para isso vamos precisar que muitas outras pessoas e empresas também sejam parceiros no nosso trabalho social.”, diz o Padre Parron.

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *